MOM TOP30 2017 Countdown - ARTIFICIAL LANGUAGE

By Gustavo Scafuro - dezembro 11, 2017


O prog metal continua em alta, cada vez mais diversificado, e abraçando novas crias como é o caso do Artificial Language, quinteto oriundo da Califórnia, que ousa incrementar o gênro post-hardcore com elementos neo-clássicos/progressivos pouco comuns no metalcore atual.

Seguindo o mesmo caminho de bandas como Haken, Cynic e Leprous, o grupo consegue fazer um som com algum nível de complexidade, tendo como diferencial os arranjos e a abordagem de cariz erudita. A guitarra sempre muito harmoniosa, destila arpejos clássicos sem nunca chocar com a entrega emotiva do vocalista Shay Lewis. Aliás, vale a pena frisar que seu registro vocal mantém-se sempre limpo e melodioso, sem nunca precisar recorrer a registros mais intensos ou agressivos.

Assista ao video do tema "Unself Portrait" abaixo, que resume bem a proposta da banda. Com uma  introdução em piano clássico, e alguns arranjos de cordas pelo meio, o grupo vai costurando sua sonoridade melodiosa com bom gosto e harmonia. As mudanças rítmicas surgem naturalmente, sem exageros, equilibrando as partes mais pesadas com outras mais calmas. No fundo, o Artificial Language já sabe que o importante é a canção, a mensagem, e não cai na armadilha da virtuose.




O resultado geral é muito positivo, e mostra que até um debut despretensioso como este, pode se transformar num dos principais lançamentos do ano. "The Observer" é portanto um álbum incontornável para quem gosta de acompanhar bandas com personalidade e potencial dentro do universo progressivo/alternativo independente.

Guz69

  • Share:

You Might Also Like

0 comments