Quintessente - Canções das Esferas Celestiais

By Gustavo Scafuro - maio 14, 2018


Aqui está uma das grandes surpresas em termos de metal nacional do ano passado, o grupo carioca QUINTESSENTE! Em atividade desde 94, lançaram um par de demos quando ainda se chamavam Quintessence, e 17 anos depois chegam finalmente a sua estreia discográfica em longa duração, o excelente Songs from Celestial Spheres. É caso para dizer que o hiato nas atividades foi extremamente positivo, pois o grupo regressou com força máxima, muita personalidade, bom gosto, e principalmente mostrando uma ecletismo musical raro de testemunhar em solo tupiniquim. As influências são as mais diversas dentro do heavy metal, principalmente no que tange à música mais extrema europeia. Gothic, Doom e Death são os mais salutares, mas o grupo não se abstém de explorar territórios mais sinfônicos e progressivos também. Ao invés de uma salada musical non sense, o grupo nos presenteia com um trabalho independente de extrema qualidade, coeso, dinâmico, maduro, e muito bem produzido também.

QUINTESSENTE

O grupo conta com André Carvalho na voz principal e Cristina Müller nos teclados e voz de apoio. André possui registros de voz bem variados e que nos remetem a algumas personalidades da música extrema, tais como Burton C. Bell (Fear Factory) nos registros limpos/médios, Jeff Walker (Carcass) nos mais rasgados, e Vorph (Samael) nos graves/grows, só para citar alguns exemplos. Soma-se a isso a voz de Cristina, que faz o contraponto, e embeleza as partes mais atmosféricas sempre que requisitada. Completam a formação Cristiano Dias na guitarra, Luiz Fernando no baixo e Leo Birigui na bateria, todos eles ótimos músicos que executam com técnica e competência as suas funções. No geral trata-se de um trabalho conceitual, que versa sobre a intrigante influência dos corpos celestes que compõe o universo, no domínio da observação humana, guiando a evolução de nossa espécie desde os tempos mais remotos. A arte do álbum também é digna de nota, e representa perfeitamente seu conteúdo musical. O disco é tão bom, e funciona tão bem como um todo, que é impossível destacar algum tema em detrimento dos restantes. Não por acaso, figurou no meu TOP10 nacional de 2017. Hoje com uma cópia física em mãos, posso atestar a qualidade que já havia me impressionado há cerca de um ano pela versão digital. Extremamente indicado, principalmente para quem acompanha o universo musical de bandas como Paradise Lost, Theatre of Tragedy e Crematory.

Ainda não conhece? Confira abaixo o videoclipe para o tema "Essente" e embarque no universo melancólico e sem fronteiras do Quintessente!

  • Share:

You Might Also Like

0 comments