MOM TOP30 2017 Countdown - GWAR

By Gustavo Scafuro - dezembro 14, 2017


O Gwar surgiu há 34 anos através do Slave Pit Inc, um grupo rotativo de artistas e cineastas norte-americanos. A proposta musical rock/metal do coletivo, invarialmente crua e direta, aliada a uma estética gore baseada em temas de mitologia e ficção ciênctífica, foi o suficiente para manter o grupo ativo durante mais de 3 décadas. Carreira coroada por duas indicações ao Grammy (perderam para Annie Lennox e Nine Inch Nails), sem nunca deixar de lado o potencial comercial do nicho shock rock. Das telas do cinema aos quadrinhos, o GWAR se estabeleceu como um filme B com status cult da música underground.

A morte do vocalista Dave Brockie (Oderus Urungus, líder do grupo por 25 anos) em 2014 não decretou o fim do projeto, muito pelo contrário, pois deu aquela motivação extra para um resurgimento renovado. Pela primeira vez sem nenhum integrante original (a personagem feminina Vulvatron também ficou de fora), o octeto surpreende pela diversidade musical em mais uma trilha sonora apocalíptica, explorando diversos sub-generos do rock pesado com eficiência, do heavy metal mais tradicional, com na sabática "War On Gwar" (War Pigs revisitado); ao desert rock da energética "Viking Death Machine", numa pegada bem QOTSA. Temas como "El Presidente" podem até confundir o ouvinte, pois tem um pouco de Lordi, um pouco de Rob Zombie, e depois descamba para um refrão thrash de cunho hardcore. Mas a dinâmica é mesmo essa, quanto mais diverso, melhor.

Outro bom exemplo é o single "I'll Be Your Monster", que é um mix energético de hard rock e heavy metal, com sabor retrô. Confira o clipe abaixo cuja premiere aconteceu no passado dia 20 de Outubro, no mesmo dia do lançamento da álbum “The Blood of Gods” pelo selo Metal Blade.


Se variedade está no seu paladar musical, experimente o 'cardápio' renovado do Gwar sem preconceitos. “The Blood of Gods” está recheado de referências hardcore/metal ("Auroch", "Crushed by the Cross"), thrash/groove (The Sordid Solilloquy of Sawborg Destructo), metal tradicional ("Fuck This Place"), hard'n'heavy cadenciado ("Phantom Limb), e no geral toda essa amálgama sonora funciona a favor da temática viking intergalático destes mostruosos cães vadios alienígenas.

Ahh, e ainda tem um bonus track emblemático "If You Want Blood (You Got It)", uma versão do  clássico do AC/DC, aqui representando a essência sangrenta e 'gore' do Gwar. Acima de tudo, “The Blood of Gods”  é um disco honesto que entretém, e que dá mote para o espectáculo teatral que acompanha o enredo mitlógico destes seres horrendos que insistem em habitar o nosso planeta.

  • Share:

You Might Also Like

0 comments